sábado, 22 de setembro de 2012

A Queda da Casa de Usher - Edgar Allan Poe

Obscuro. É o que tenho a dizer.

Que tétrica situação em que um conto aparentemente enfadonho e com uma negritude batida, gasta, abusada por filmes e séries duvidosas, acobarda as ondas, afugenta o sol, e num raio distante da vista as mamas desaparecem! Aos pares! Na areia afunda-se os pés.

Obscuro. Não é bem o que tenho a dizer.

Que tétrica situação em que um conto inicialmente enfadonho entranha subrepticiamente na mente de sonhos acordados e os torna húmidos de suor. Pudesse eu ir para a cama húmido ou houvesse alguém no seio dela húmida! A areia molha os pés; aos pares.

Que tétrica situação! Era o que tinha a dizer.

2 comentários:

RS disse...

Gostas do Poe? Lê a Narrativa de Gordon Pym.

Bruno disse...

Li-o ontem pela primeira vez quando fui à praia. Dai a referência à areia e a partes morfológicas de mamíferos no texto.

Ontem ao escrever isto tentava perceber se tinha realmente gostado de ler Poe. Inicialmente achei que não faria o meu género de leitura.

Por isso, RS, parece que afinal gostei mesmo. Vou então ler a Narrativa de Gordon Pym.

Sugestões de leitura são sempre bem-vindas.